Uma nova Central de Atendimento ao Cidadão no (eixo de serviços e comércio de Palmeira), mais espaço de lazer e qualidade de vida (eixo do Parque Linear Monjolo), delimitação de área para cultura (eixo cultural) e remodelagem do centro e comércio do município (eixo comercial), é com esses quatro eixos de trabalho que o Município de Palmeira pretende repaginar as dinâmicas econômicas e sociais da cidade com base em um projeto inovador que conta com o comprometimento e foco de uma equipe motivada.

Na quinta-feira (14), servidores membros do Grupo Especial de Trabalho da Modernização da Administração Tributária (Gemat) receberam funcionários da ECOTÉCNICA Tecnologia e Consultoria Ltda, empresa licitada para desenvolver estudos e elaborar projetos que se adequem aos eixos de trabalho previstos no Programa de Modernização da Administração Tributária e Gestão dos Setores Básicos (Pmat). Na oportunidade a empresa assinou a ordem de serviço que marca o compromisso com o desenvolvimento dos trabalhos contratados e recebeu visita guiada pelas principais áreas de ação do Pmat.

Durante a visita a empresa foi exposta às principais demandas do município através dos quatro eixos do Pmat, passando também pelas áreas que futuramente darão espaço ao Centro Cívico, Centro Comercial, Centro Histórico, Centro Cultural  e Parque Linear. De acordo com a arquiteta e urbanista da Ecotécnica, Sandra Mayumi Nakamura, Palmeira tem um grande potencial para crescimento, “pretendemos investir todas as nossas capacidades intelectuais e técnicas neste projeto porque sabemos da importância que isso tem para o desenvolvimento da cidade e porque queremos fazer um trabalho do qual possamos nos orgulhar futuramente”, comentou Nakamura.

Centro Cívico

Faz parte do eixo de serviços e comércio de Palmeira cujo primeiro passo será a construção de uma nova Central de Atendimento ao Cidadão com objetivo de fornecer atendimento pleno para o cidadão, de forma rápida e eficiente. “O atendimento ao cidadão acontecerá de forma estruturada onde os técnicos serão os primeiros a atender o contribuinte que será redirecionado para diretores e secretário apenas se o caso não for resolvido na primeira instância”, comentou o prefeito, Edir Havrechaki. Além disso, segundo Havrechaki, todos os órgãos funcionarão na central, o que vai gerar economia para o município que hoje paga aluguéis e facilitará a vida do contribuinte que terá acesso à todas as secretarias em apenas um espaço. O projeto arquitetônico da nova central já foi desenvolvido a próxima etapa é a contratação de construtora.

Centro Comercial

Localizado no Centro, tem início na Praça Marechal Floriano Peixoto (Matriz) passando pela Rua Conceição seguindo até a Praça Domingos Theodorico de Freitas (Cemitério). O projeto prevê a revitalização em toda a sua extensão, e a implantação de remodelação urbanística e imobiliária, como o calçadão em trecho a ser estudado conjuntamente com a inserção de mobiliários, para atrair visitantes, e fomento a economia local. A viabilidade das mudanças deve ser avaliada junto à sociedade.

Centro Histórico e Centro Cultural

O Centro Histórico planejado pela Secretaria de Cultura, Patrimônio Histórico, Turismo e Relações Públicas faz parte do Eixo Comercial, Industrial e de Serviços da Região Central já o Centro Cultural faz parte do Eixo Econômico e Cultural de Serviços e Comércio, juntos os dois projetos irão promover a preservação histórica e fomento à cultura. De acordo com o secretário das pastas, Waldir Joanassi Filho, o Centro Histórico consiste na preservação do patrimônio municipal, “nosso foco agora é na Travessa Vice-Prefeito Marcos José Malucelli, o Beco da Praça, temos um projeto bastante inovador de contar a história do município através de obras de arte a céu aberto que ficaram expostas no beco, e o Pmat vai nos ajudar a projetar uma cobertura para transformar a travessa em um lugar único e para proteger as obras da ação do tempo”, explicou. Já o Centro Cultural ficará na região onde está localizado o museu de Palmeira, a previsão é de revitalização do entorno e criação de equipamentos públicos destinados à cultura.

Parque Linear Monjolo

É o elo de ligação entre o Centro Cívico e Centro Cultural seguindo a extensão do Rio Monjolo aproveitando a mata ciliar da área criando espaços de lazer e qualidade de vida integrados à proteção ambiental. O conceito “Cidade Educadora”deverá acompanhar todo o desenvolvimento dos quatro eixos, que quando concluídos terão emplacamento educativos, para que turistas e munícipes aprendam mais sobre a cidade enquanto passeiam pelo Parque Linear ou visitam um órgão público no Centro Cívico.

O projeto também contempla a revisão do Plano Diretor Municipal, levando em conta todas as alterações previstas nos quatro eixos de desenvolvimento, desta forma para validar as alterações o Poder Executivo irá elaborar audiências públicas diversas para que a população tenha oportunidade de se informar e de opinar quanto às mudanças que estarão sendo efetivadas.

Os investimentos foram possibilitados com operação de crédito de R$ 5,5 milhões por meio da Caixa Econômica Federal. “É uma junção de trabalhos que resulta em benefícios para a cidade, por exemplo, para conseguir uma operação de crédito deste porte o município precisa estar em dia com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) que envolve um amplo trabalho de prestação de contas”, comentou a secretária de finanças Angela Renata Brunosky.