O volume de chuvas dos últimos dias na região já causa prejuízos para a agricultura. Esse cenário reflete principalmente na produtividade e qualidade dos cereais de inverno, como trigo e cevada.

O agrônomo, Andrey Pacievitch, alertou que a perca de peso e a diminuição da qualidade do trigo e da cevada refletirão no preço dos cereais. “Temos observado que nesses últimos 15 dias de chuva que tivemos estávamos tendo bastante prejuízo e estrago, tanto na produtividade (perca de peso)  como na diminuição da qualidade do trigo e da cevada por motivos de germinação da espiga. Isso porque a planta já começa com o processo de germinação antes mesmo de ser colhida e também pelo ataque de fungos que causam grãos ardidos. O que tem uma diminuição principalmente na qualidade e todos esses cereais de inverno são pagos ao produtor de acordo com a qualidade que são colhidos”, explicou o profissional.

Outro problema ocasionado com as constantes chuvas é o atraso no processo de plantio de soja. “Automaticamente, o plantio de soja que seria realizado no mês de novembro também acaba sendo prejudicado. Com excesso de umidade no solo não se consegue fazer o processo de plantio e consequentemente a janela mais adequada para o plantio da soja começa a ir embora e perde-se uma época de melhor produtividade para a semeadura da cultura da soja. Além de que uma boa parte da área da soja ainda está ocupada pelo trigo e cevada, pois a soja seria semeada após a colheita desses cereais de inverno. Assim, chovendo não há como colher, muito menos plantar essas áreas”, relatou o agrônomo.

A previsão é que a partir de sábado (27)  ocorra uma estiagem no tempo. No entanto, Pacievitch comentou que a precipitação pode retornar na próxima semana. Com isso, o intervalo não será suficiente para finalizar todo o processo de colheita e iniciar o plantio no momento adequado. “Logicamente ainda há tempo para o plantio, mês de novembro ainda é permitido tem variedades que são adaptáveis para o próximo mês e variedades mais tardias para dezembro. Porém, ficamos preocupados porque com tudo parado, está comprometendo seriamente a qualidade dos cereais de inverno”, comentou Andrey.

Foto:Elder Scolimoski