Nesta terça-feira (3)  o prefeito Edir Havrechaki e o secretário Municipal de Indústria e Comércio, Jaudeth Hajar, estiveram em Curitiba para acompanhar a emissão da licença ambiental de instalação do Instituto Ambiental do Paraná (IAP)  para a construção de um condomínio fotovoltaico em Palmeira.A licença de instalação permite o início das obras da primeira etapa, que deve começar em 60 dias, de acordo com o empreendedor. Nesta fase, o investimento será de US$ 25 milhões, com a capacidade de geração de 7,3 megawatts.O empreendimento tem potência total prevista de 293 megawatts divididos em sete usinas solares. O Paraná é o primeiro estado do Brasil a abrigar o modelo de consórcio de empresas e Mini Geração Distribuída, onde cada um pode produzir sua própria energia.As usinas aproveitarão a luz solar para converter em energia elétrica a ser comercializada com empresas interessadas. A distribuição poderá ser feita pela Copel ou pelo próprio empreendimento, que conta com a participação de investidores brasileiros, holandeses, alemães, chineses, coreanos e sul-africanos.A expectativa é que com a instalação do parque energético o município passe a ser ponto de referência em tecnologia e energia limpa. “Tanto para Palmeira quanto para o Paraná esse é um projeto-piloto, e pioneiro, que vai trazer notoriedade para todo o país. Será um case para outros projetos futuros no Brasil”, afirmou Havrechaki.Participaram do evento de entrega de licenciamento ambiental o deputado estadual Paulo Litro, o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto, além de consultores e secretários municipais.

Usina

 

 

A usina que será instalada em um terreno de 113 mil metros quadrados, cedido pela Prefeitura, e produzirá até 293 megawatts de energia em períodos de oito a 12 horas de funcionamento. A energia produzida pelos painéis solares atenderá exclusivamente as indústrias do Paraná. Ao longo de dois anos espera-se um investimento total de US$ 300 milhões, com a criação de 450 empregos ao final do projeto.

Fotos:Divulgação IAP