Início de ano também é marcado pela procura de emprego, tanto para aqueles que buscam a primeira experiência ou reinserção no mercado de trabalho. A Agência do Trabalhador é um serviço público que tem como principal atividade a intermediação da mão de obra. Trata-se de uma parceria do Ministério do Trabalho, com Governo do Estado e o município por meio da Secretaria de Indústria e Comércio

Luiz Alfredo Sluzars, Diretor de Trabalho e Emprego da Agência do Trabalhador de Palmeira, esteve ao vivo no Noticiário P7 desta sexta-feira (11)   para falar sobre as ações desenvolvidas. Segundo Sluzars, desde 2016, havia uma necessidade em melhorar os trabalhos da Agência, tanto que neste período foram 89 vagas intermediadas. De acordo com o diretor, este cenário,  estava motivando que o Estado desativasse a Agência. Assim, outros serviços prestados, como emissão da Carteira de Trabalho, Seguro-Desemprego e as ações realizadas pela Agência de Fomento de Microcrédito seriam suspensos no município.

O baixo número de intermediação da época se explica porque muitas contratações estavam sendo feitas diretamente pelas empresas. Dessa forma, números que constavam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGEG)   não eram registrados pela Agência. Assim através de um esforço para buscar parcerias com empresários locais, a situação foi revertida. No ano passado, O Estado estipulou como meta para a Agência do Trabalhador de Palmeira 396 colocações, sendo alcançada a marca de 790 vagas, um saldo positivo de 394 colocações.  “Sempre destaco que é um trabalho muito forte que a equipe faz, são pessoas extremamente competentes e 2018 como resultado desse trabalho, conseguimos inclusive um carro. Possibilitando uma logística muito mais rápida para chegarmos aos empresários, além de facilitar para quem está contratando”, comentou o diretor.

A importância da parceria com as empresas e a atualização do cadastro  dos candidatos também foram abordadas na entrevista. São questões determinantes para as colocações no mercado de trabalho. “É importante que as pessoas atualizem seus cadastros, definam seu perfil, mostrar a capacitação que já tem, temos muitas opções de cursos que vem sendo oferecidos pela Secretaria de Indústria e Comércio, temos o EJA que facilita para as pessoas avançarem em seu currículo. Cada vez os empresários olham para isso, as pessoas precisam estar capacitadas, com um nível escolar mais elevado, o que facilita também.”, destacou Luiz Alfredo.

O diretor também ressaltou que novembro e dezembro foram meses significativos para o número de colocações. Além de o comércio aumentar as vagas de emprego em função das festas de fim de ano, as colheitas de maçã e batatinha possibilitaram maior número de contratações para este período.

Fomento Paraná

As ações desenvolvidas através da Fomento Paraná também foram tema na entrevista. Trata-se de uma instituição financeira de desenvolvimento do Governo do Estado, que possibilita que empresários possam investir em seu negócio. Em 2018, foram 45 projetos apresentados e 23 aprovados. Com isso, segundo o Diretor de Trabalho e Emprego foram canalizados para o município R$ 276.535,00. Uma das vantagens da Fomento Paraná é de que o valor pode ser dividido em várias parcelas.

Expectativa para 2019

Sobre o que esperar deste ano que inicia quando o assunto são as contratações, Sluzars lembra que 2019 é um ano marcado por transições tanto no Governo Estadual como Federal, com isso, muitas das definições para o atual cenário vão acontecer ao longo do ano “Claro que torcemos que seja um ano muito melhor que 2018 e para nós aqui em Palmeira é o bicentenário, então vamos trabalhar muito, faremos vários eventos da Agência e estamos em contato com outras secretarias para promover atividades em conjunto”, adiantou Luiz Alfredo.

Foto:Elder Scolimoski