Neste fim de semana no local que abriga uma das capelas mais antigas de nossa Paróquia acontece a tradicional Festa de “Nossa Senhora das Pedras”. O nome, segundo o Instituto Histórico e Geográfico de Palmeira se explica em virtude das “várias lendas atribuídas ao local onde a Virgem Maria teria aparecido em mais de uma circunstância”.

Há 40 quilômetros de Palmeira, o espaço é conhecido por suas belezas naturais e devoção à Nossa Senhora, em que muitos fiéis afirmam ver o semblante da imagem da Santa entre as pedras.

A capela foi construída em 1880 nas terras do Barão de Guaraúna e até hoje mantém suas características principais. Após a morte de Domingos Ferreira Pinto, sua esposa, a baronesa de Guaraúna doou para a Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição. Assim, a capela de Nossa Senhora das Neves é tombada pelo Patrimônio Histórico do Estado do Paraná.

A festa em louvor a Nossa Senhora das Neves está desde 2001 no calendário Oficial de Eventos Turísticos do Paraná, mas segundo registros, desde 1895 são realizadas festas religiosas naquele local, atraindo moradores de Campo Largo, Balsa Nova, Lapa, Curitiba, Ponta Grossa e de Palmeira.

A localidade apresenta aspectos históricos, visto estar diretamente ligada ao tropeirismo.  O local foi pouso de tropeiros antes da descida da serra de São Luiz do Purunã, para o qual eles pediam proteção da Santa.

Da capela é possível avistar toda a Escarpa Devoniana da região. As comunidades de Nossa Senhora das Pedras e de Cercado fazem parte da Área de Proteção Ambiental (APA)da Escarpa Devoniana, criada por decreto em 1992.

O acesso à localidade é pela BR 376, Rodovia do Café, KM 535, entrada para Huhtamaki ou pela via entre as colônias de Quero Quero e Witmarsum.

Foto:Elder Scolimoski