Hoje (10)  faz exatamente dois meses que o palmeirense Robson Antonio Gulhinski está internado no Hospital Cajuru, em Curitiba, data que foi baleado e atropelado, na Capital do Estado. No último dia 3 de agosto, o cabo foi foi transferido da UTI para o quarto. No entanto, seu quadro é bastante delicado ainda na parte respiratória.

A professora Josiane Kauka, esposa do Cabo Gulhinski, informou que não previsão de alta e que devido às complicações respirações, aparelho de oxigênio vem sendo utilizado. Quatro disparos que acertaram o policial, um deles causou fratura exposta em sua mão esquerda.