No dia 8 de setembro de 2017, data em que se celebra a Padroeira da Arquidiocese de Curitiba, Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, será também comemorada a chegada dos dois novos bispos auxiliares da Arquidiocese.

Dom Amilton Manoel da Silva e Dom Francisco Cota de Oliveira serão acolhidos na Missa Solene que será presidida pelo Arcebispo Dom José Antônio Peruzzo, às 10 horas na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz, na Praça Tiradentes.

História de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais

A cidade de Curitiba se iniciou em torno de uma capela, onde a Mãe da Luz era venerada pelos seus inúmeros milagres. Conta a história que na segunda metade do século XVII foi encontrada uma pequena povoação no sítio dos Pinhais, onde em 1659 seria fundada a Vila de Nossa Senhora da Luz, onde os penetradores do sertão ergueram uma ermida à Senhora da Luz. Com o passar do tempo notaram que a imagem da Virgem tinha sempre os olhos voltados para os campos aos quais os índios chamavam de Curitiba, Pinhais, em tupi-guarani.

Aquela região era habitada pelos índios de etnia caingangue. Tal foi a insistência da Virgem, que os sertanejos resolveram sondar a possibilidade da conquista do sítio. Armados como para uma guerra seguiram para a esplanada dominada pelos caingangues, prontos para o combate.

Em vez do previsível combate, o que ocorreu foi a acolhedora recepção oferecida pelo cacique Gralha Branca, ou Araxó. Os índios concordaram em ceder amigavelmente o terreno aos desbravadores, e o cacique tomou sua vara, símbolo do mando, enterrando-a no local que viria a ser a praça central da futura cidade. Muito simbolicamente, a dita vara, ao chegar a primavera, veio a desabrochar, dando galhos e flores. Nesse local – hoje Praça Tiradentes – foi erguida a igreja em honra a Nossa Senhora da Luz.