Os reflexos das manifestações contra os seguidos reajustes do preço do combustível começam a apresentar consequências. No terceiro dia de paralisação, os caminhoneiros continuam na PR 151, em frente ao Posto Guapo. Com adesão cada vez maior, proprietários de vans da cidade de Palmeira iniciaram paralisação em apoio aos caminhoneiros nesta terça-feira (22). Durante a tarde houve uma passeata pelas ruas da cidade e os motoristas foram para a PR 151, saída para Ponta Grossa, próximo do DER, onde manifestaram e veículos que prestam este serviço de transporte foram segurados. A noite novamente os ‘vanzeiros’ realizaram um buzinaço pela cidade.

De acordo com manifestantes cerca de 90%dos caminhoneiros de Palmeira participam da paralisação que segue de forma pacífica. “O combinado entre caminhoneiros e transportadoras é de que a greve só tenha fim com a mudança de preço nas bombas. Nossa reivindicação não é somente em relação ao preço do combustível. Mas também a questão do pedágio do eixo erguido, em que precisamos que o governo volte atrás nessa lei. Existem outras reivindicações, mas essas são as principais”.

Demais setores, bem como a população em geral estão se solidarizando com os protestos. A organização informou que estão sendo recebidas doações de mantimentos e cobertores. “Isso é muito satisfatório para nós, é um sinal de que o pessoal está apoiando a greve e vamos continuar com a paralisação”.

De acordo com a 5ª Companhia do Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual são 19 pontos com paralisação na região.

CombustívelEm um dos postos do centro da cidade, antes das 10 horas desta quarta-feira (23)  não havia mais gasolina e álcool. Filas estão sendo formadas nos postos de combustíveis e a previsão é de que o estoque de gasolina e álcool não passe do horário do almoço. Frentistas relatam que pessoas de outros municípios como Ponta Grossa estão vindo à Palmeira abastecer.

Os veículos do Corpo de Bombeiros, que são abastecidos na cidade, serão completados hoje para evitar transtornos futuros. Da mesma forma, a frota da Policia Militar já foi toda abastecida pela manhã. A orientação é de que para economizar combustível, o patrulhamento seja destinado a saídas de emergência e que os veículos fiquem nos pontos base. O setor de transporte do município informou que os veículos da Prefeitura estão sendo abastecidos para evitar eventualidades. Até o momento, nenhum carro do governo municipal está sem combustível.

Gás de cozinhaAinda que o maior fluxo na venda do gás de cozinha seja no início do mês e que muitas casas tenham botijão reserva, em caso de continuidade da paralisação, a reposição do estoque será inviável.

Revendedores do gás do município informaram que há caminhões com botijões parados em pontos de manifestação.  Em um estabelecimento da cidade em que o gás vem de Ponta Grossa, por exemplo, a última carga foi retirada na segunda-feira.  Com a permanência da greve, não haverá estoque para reposição. Segundo revendedores da cidade os estoques devem acabar entre dois a quatro dias. A orientação é que as famílias que tem botijão reserva abasteçam para não ficar sem gás.

ÔnibusNa tarde desta quarta-feira (23)  haverá uma reunião sobre como ficará o funcionamento dos ônibus para as pessoas que utilizam o transporte coletivo para outros municípios. Com a falta de combustível, os ônibus podem ficar impossibilitados de fazer o trajeto. Além disso, os motoristas de empresas de ônibus que atuam em Palmeira também foram convidados a apoiar a paralisação. De acordo com a Princesa dos Campos uma reunião acontecerá nesta tarde para definir a situação. Os usuários devem acompanhar pelo site como será o funcionamento nas próximas horas.

Fotos:Elder Scolimoski