A Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG)  lançou na segunda-feira (2)  o concurso fotográfico “Sabores dos Campos Gerais” que irá escolher as melhores fotografias dos sabores que representam a região para o livro “Sabores dos Campos Gerais”. Cada um dos 19 municípios dos Campos Gerais delimitou um prato para ser tema principal das fotos que vão concorrer, em Palmeira o prato escolhido foi o Pão no Bafo, que além de comida típica é um patrimônio imaterial tombado.

O concurso é dividido em duas categorias “Amador”e “Profissional”, com isso uma comissão julgadora formada por cidadãos com notório saber nas áreas de cultura, gastronomia ou fotografia elegerá uma foto de cada categoria para compor o livro. Conforme o regulamento do concurso a comissão julgadora selecionará as fotografias inscritas usando os critérios:consonância com o tema do concurso, “Sabores dos Campos Gerais”;criatividade;qualidade fotográfica;estética;e originalidade.

Para se inscrever no concurso o participante deve preencher o formulário disponível aqui e entregar para um dos membros da comissão organizadora na Secretaria de Cultura, Patrimônio Histórico, Turismo e Relações Públicas, situada na Prefeitura de Palmeira, Praça Marechal Floriano Peixoto, 11. Para ter sua foto aceita no concurso o participante deve seguir rigidamente os critérios do regulamento disponível aqui. Ainda conforme regulamento, as fotografias deverão ser entregues no ato da inscrição juntamente com a autorização de uso de imagem disponível aqui, caso necessário.

De acordo com o secretário de Cultura e Turismo de Palmeira e presidente da AMCG Cultura, Waldir Joanassi Filho, é importante para a região dos Campos Gerais que os municípios participem e fortaleçam a imagem das suas gastronomias típicas. “É uma forma de incentivar o turismo gastronômico e ao mesmo tempo fortalecer a cultura regional através do olhar fotográfico da própria população”, disse.

O prato de Palmeira

O Pão no Bafo, também conhecido como “pão de russo” caiu no gosto da população, tanto da zona urbana, como rural, tornando-se o prato típico de Palmeira, dos mais conhecidos regionalmente, é apreciado por inúmeras pessoas e considerado sucesso na gastronomia local, tendo em vista que são vários os restaurantes que o servem com pontualidade. A noção de patrimônio imaterial como elemento que engloba o universo das culturas populares tradicionais e das manifestações que os palmeirenses buscam de preservar e valorizar a respeito da inserção do Pão no Bafo como legado cultural dos Alemães do Volga que o inseriram na culinária palmeirense transmitida
de geração em geração.

Desde a chegada dos Imigrantes “Alemães do Volga” em Palmeira no ano de 1878, o Pão no Bafo fora introduzido na culinária palmeirense. Logo, todas as outras etnias, tanto as que habitavam em Palmeira, como aquelas que vieram depois, como os poloneses, os italianos, os ucranianos entre outros, foram inserindo no cardápio de seu dia a dia o Pão no Bafo. Carne de porco repolho, couve e a massa de pão cozida no vapor, são os três ingredientes básicos de uma das mais tradicionais receitas da culinária palmeirense.

A arte Culinária, ao longo do tempo proporcionou que cada família, ou cada etnia acrescentasse um toque especial na sua construção, no entanto sem perder a sua base, dando denominações variadas de acordo com o idioma de cada uma delas, porém mantendo-se inalterado o modo de preparo, que consiste na fritura da carne de porco, o repolho ou couve picados e as bolinhas de pão semi crescidos, tapados em uma panela, com cozimento médio de 50 minutos em fogo brando.