A paralisação dos caminhoneiros que iniciou na segunda-feira, 21 de maio, entra hoje (30)   para o décimo dia. Manifestantes permanecem em pontos de concentração aguardando o resultado desta mobilização.

De acordo com Mauri Silveira (Bocão), em Palmeira, cerca de 130 caminhões permanecem às margens da rodovia. Ele contou que os motoristas estão livres para seguir viagem, mas até o momento eles não deixaram a cidade. “Dependendo de nós aqui, o motorista que quiser viajar está liberado, não vamos segurar ninguém e isso foi passado para eles. A maioria não vai, então estamos aguardando para ver. Se eles quiserem ficar aqui estaremos dando apoio”, explicou o caminhoneiro.

A Polícia Militar acompanha a manifestação desde o início. Nesta manhã cerca de 40 policiais estão na mobilização para garantir a segurança dos motoristas que pretendem seguir viagem ou aqueles que transitam pela rodovia.  O setor de Comunicação Social da Polícia Militar informou que somente na área do 1º BPM são 12 pontos visitados:Ponta Grossa, Palmeira, Porto Amazonas, Carambei, Castro, Pirai do Sul, Arapoti, Jaguariaiva e Sengés.

O Comandante da 3ª Companhia, Capitão Aurélio de Santa Clara falou sobre uma liminar que garante a liberação das estradas para os caminhoneiros em todo o Estado. “Estamos em todas as regiões do estado do Paraná em coordenação também com as equipes de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. E no município de Palmeira a Polícia Militar também está presente para garantir que aqueles que queiram seguir viagem tenham toda segurança e possam circular livremente. Os pontos de bloqueios mapeados já foram mobiliados com forças policiais, forças militares e policiais rodoviários, que estão colaborando nessa atividade para que todos possam seguir com segurança”, comentou o Capitão.

Além da PM, Soldados do Exército Brasileiro também estão às margens da PR 151, em Palmeira para garantir a segurança.

 

Protesto em posto de combustíveis

Na noite de ontem (29), por volta das 20 horas um grupo de pessoas foi até um posto de combustíveis localizado às margens da PR 151, onde estava sendo comercializada gasolina, e com gritos, vaias, e utilizando palavras como “vergonha”, manifestaram no local. Durante todo o dia uma enorme fila de veículos se formou nas proximidades do comércio, com pessoas que precisavam abastecer seus veículos. Em contato com o gerente do estabelecimento comercial, eles preferiram não se pronunciar no momento. A gasolina foi vendida ontem a R$ 4,19 o litro. Hoje pela manhã não houve venda de combustíveis. De acordo com funcionários do posto, eles aguardam informações sobre o carregamento de combustíveis para Palmeira.

Muitas pessoas postaram em redes sociais que a população de Palmeira não deveria abastecer seus veículos em protesto pelo preço do combustível, alegando que a gasolina estava sendo vendida por quase R$ 6,00 o litro – informação essa que não procede. Outra postagem do Facebook é que 600 multas foram aplicadas pela Polícia Militar. O Sargento Gaio também desmentiu essa informação. “Essa é uma informação totalmente mentirosa são pessoas desinformadas que querem estabelecer um caos. A Polícia Militar não está estabelecendo nenhuma notificação em nossa região e o que vem por rede social até o momento é mentira”, ressaltou o PM.

Fotos:Elder Scolimoski