Amanhã (23)  o comércio se movimenta com a Black Friday, promoção que surgiu nos Estados Unidos, sendo incorporado em diversos países, entre ele o Brasil. Trata-se de uma data muito aguardada por consumidores que garimpam produtos com grandes descontos. Outra característica da Black Friday, é que ela marca o início das compras de Natal.

Em Palmeira não é diferente, inclusive, em várias lojas os descontos já começaram. Roupas, calçados, eletrônicos e eletrodomésticos são os principais produtos procurados pela população.

Henrique Borda, coordenador do Procon de Palmeira explicou que antes de aproveitar a da Black Friday é fundamental que o consumidor verifique os preços dos produtos antes da promoção, para evitar falsos descontos. Ele também alerta para a compra consciente com o intuito de evitar gastos desnecessários. “Basicamente assim, o que temos até por conselho do Procon Estadual é que o consumidor antes de fazer a compra, ele já tenha acesso a esses produtos para ver se de fato esse desconto é real. Por às vezes ele tem a simulação de um desconto aparente que não corresponde de fato  ao produto. Então para não cair nessa cilada, pesquisar para no dia da promoção ver se existe o desconto real.  E também levando em conta que por mais que esteja em desconto, avaliar se o produto é essencial”, informou Borba.

Dessa forma, o Procon reforça a atenção aos descontos maquiados, em que estabelecimentos aumentam o preço do produto antes da Black Friday só para dizer que na data existe o desconto.

Em alguns casos é possível que o cliente cancele a compra realizada. Previsto no Código de Defesa do Consumidor, o direito do arrependimento garante a possibilidade do consumidor desistir da aquisição de um produto ou serviço, quando for adquirido fora do estabelecimento físico. “A nossa legislação é bem clara quanto a isso. Quando você compra esse produto no site, tem o direito do arrependimento. São sete dias que o consumidor tem para fazer a trocar ou a devolução do produto e pegar o dinheiro de volta. Porém, quando essa compra é feita na loja esse direito não existe, porque entende-se que o consumidor está vendo o produto. Assim na medida que ele compra só é possível a troca se o fornecedor permitir.”, relatou Henrique.

As promoções de Black Friday também impulsionam as compras através da internet. Torna-se cada vez mais comum que as pessoas adquiram produtos através de clique de computadores, tablets e smartphones. No entanto, as compras online também registram alto índice de prejuízos ao consumidor, há situações em que os produtos não chegam ou são diferentes do que foi anunciado. A confiança nos sites é a principal orientação do Procon.

Em compras pela internet também há vários casos em que no momento de efetuar a compra, o frete é tão caro que o desconto acaba não compensando.

Fraudadores também utilizam emails e mensagens no WhatsApp para induzir o consumidor a entrar em sites que podem infectar seu computador ou celular e roubar dados. Em alguns casos, os sites são praticamente idênticos aos das lojas verdadeiras, o que confunde ainda mais o consumidor. “Então, para o consumidor fazer a compra é necessário primeiro ele  ter confiança no site. Inclusive, o Procon de Palmeira recebe durante todo o ano questões parecidas de consumidores que compram em sites que não conhecem e acabam caindo em muitos golpes. É preciso priorizar sites seguros, pesquisar CNPJ da empresa, razão social, endereço, telefone, endereço eletrônico para depois fazer a compra”, ressaltou o coordenador do Procon.

Segundo Henrique, os golpes aplicados através de sites enganosos, terão reflexos no número de reclamações no Procon em janeiro. Com intuito de diminuir os danos aos clientes, o órgão disponibilizou uma lista com mais de 500 sites não confiáveis, que o Procon não recomenda a compra de produtos e serviços. Clique aqui e confira a listadisponibilizada pelo órgão.

Outra dúvida recorrente, não apenas durante as promoções de Black Friday é a diferenciação entre preços para pagamentos no cartão e em dinheiro em espécie. O coordenador do Procon informa que essa alternativa de preços variados tem a intenção de aumentar o fluxo de dinheiro no comércio. “Essa diferenciação ela é possível, através de uma medida provisória, até então era proibida, mas a partir do ano passado foi sancionada. O que incentiva na verdade o fluxo maior de dinheiro”, contou Borba.

Em qualquer situação que o consumidor sinta-se prejudicado pode procurar o Procon. No entanto, a pesquisa antes da compra torna-se essencial para evitar possíveis transtornos. “Ter informações se de fato a promoção é real ou não se eu preciso desse produto ou não, mas em todo o caso quando o consumidor se sentir lesado, existe a plataforma que é o consumidor.gov.br   que qualquer cidadão pode acessar e fazer a reclamação. Não tendo resultado por essa plataforma, o Procon de Palmeira está disponível para receber qualquer consumidor e tentar resolver da melhor forma possível”, reforçou o coordenador.

O Procon de Palmeira atende de segunda  a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h na Rua XV de Novembro,  425. O telefone para contato é o 3909-5124.

Foto:Bruna Camargo