A taxa de coleta de lixo do município será cobrada na tarifa de água da Sanepar a partir de 2019. A mudança foi definida em reunião realizada na última quinta-feira (2), em Curitiba entre a Prefeitura e a Sanepar.  Atualmente a tarifa de lixo é cobrada com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

Participaram da reunião, representando a Prefeitura de Palmeira, o secretário de Finanças, Eloir José Voichicoski, e a diretora de Arrecadação, Maria Carolina de Goes. Pela Sanepar estiveram presentes João Pedroso, Karla Bondi Biavatti e Cristiane Coutinho Gebran.

De acordo com a assessoria da Prefeitura Municipal de Palmeira, uma das razões pela parceria com a Sanepar é a busca pela redução da inadimplência, que hoje chega a passar de 40%de não pagantes.  Com a mudança, haverá a possibilidade de parcelamento em até 12 vezes, período maior que o parcelamento do IPTU.

Ainda segunda a assessoria, outro item de importância é que no modelo atual, no caso do não pagamento do IPTU pelo contribuinte, o mesmo irá para dívida ativa e o valor da taxa de coleta de lixo reforça o acréscimo do valor em cobrança e juros, aumentando as dificuldades de quitação pelo devedor.

Em 2017 o município arrecadou pouco mais de R$ 860 mil reais e em 2018, até o momento, foi arrecadado R$ 600 mil. O custo com a gestão dos resíduos sólidos chega em R$ 1,4 milhão por ano.

O Município de Palmeira já possui aprovada a Lei Complementar 03/2017, sobre a instituição da taxa de gerenciamento de resíduos sólidos domiciliares. Os trabalhos para transição para o novo modelo acontecerão neste segundo semestre e a efetivação será a partir de janeiro de 2019.

Foto:Divulgação/ Prefeitura Municipal de Palmeira