Desde o dia 2 de março, usuários, comerciantes e as agências bancárias ainda enfrentam transtornos em seu cotidiano. Correntistas reclamam da falta de atendimento. Maria de Fátima Oliveira, cliente do Itaú há 8 anos informou que pela inviabilidade de ir às agências das cidades vizinhas, suas contas do mês ficaram atrasadas.

As pessoas que utilizam o banco Itaú, precisam se deslocar até a agência de Porto Amazonas, ou de Ponta Grossa. No caso do Itaú de Porto Amazonas, a equipe informou que o fluxo de pessoas atendidas aumentou cerca de 50%. Os colaboradores da agência de Palmeira foram deslocados para auxiliarem no atendimento do Itaú de Porto Amazonas.

De acordo com o Itaú de Palmeira, a próxima segunda-feira (09)  é o primeiro prazo estimado pela equipe responsável, para que a reforma seja concluída. Enquanto as obras estão em andamento, apenas serviços que não envolvem numerário estão sendo realizados no Itaú de Palmeira. Ações como transferência, abertura de conta e pagamento de boleto com dinheiro em conta podem ser feitos em Palmeira.

O Itaú de Palmeira também informou que não possuem um valor estimado do prejuízo acarretado pelas explosões, uma vez que a área de São Paulo é responsável por essa estimativa.

Prisão

No último dia 26, foi preso o principal articulador contra ataque a carros-fortes e bancos na região.

Celio Afonso da Silva, conhecido como Coelho é suspeito de participar do planejamento e execução do roubo aos cinco carros-fortes, que resultou na morte de quatro pessoas, entre elas um assaltante, no dia 6 de fevereiro em Witmarsum. Além das explosões a bancos em Palmeira e Pitanga.

De acordo com delegado-chefe do Cope, Rodrigo Brown as investigações policiais apontaram a participação de Coelho na maioria das ações. “Inclusive ele seria o responsável em propiciar o armamento para a quadrilha”, explicou Brown.