Vereadores rejeitam projeto de suplementação para Expo Palmeira

Vereadores rejeitam projeto de suplementação para Expo Palmeira

Publicado em: 26 abr, 2019 às 11:39

Aconteceu nesta quinta-feira (25) às 17h na sede do Legislativo Municipal Sessão Extraordinária.  A convocação foi feita durante Sessão Ordinária realizada na última terça-feira (23).
Durante os trabalhos foram votados em 2ª discussão sete Projetos de Lei Orçamentários. Entre eles o Substitutivo ao Projeto de Lei 5236 que gerou grande repercussão nas redes sociais.  Isso porque trata de autorização no valor de R$ 410 mil, para a Secretaria Municipal de Cultura, Patrimônio Histórico, Turismo e Relações Públicas, que visa dar suporte às despesas para contratação de dois shows para a Expo Palmeira. Também, a fim de dar suporte às festividades referentes aos 200 anos do nosso Município, à finalização do projeto expográfico do Museu Histórico e Geográfico de Palmeira, à estruturação da biblioteca pública e continuidade na pesquisa e valorização dos patrimônios materiais e imateriais.
O Substitutivo ao Projeto de Lei 5236 foi rejeitado pela maioria dos vereadores na Câmara. O presidente do Legislativo vereador Domingos Everaldo Kuhn somente poderia votar caso houvesse empate entre os parlamentares, e o vereador Arildo Zaleski não compareceu à sessão, portanto o projeto foi rejeitado por 5 votos a 2. Foram à favor os vereadores Pastor Anselmo Heimbecker Ozório e Marcos Ribas.
E votaram contrário os vereadores Denis Sanson, Rogério Czelusniak, Gilmar Costa, João Savi e João Alberto Ferreira da Costa (Gaiola).
A Assessoria da Câmara Municipal indicou a pedido da emissora dois parlamentares para justificar seus votos.
O vereador Marcos Ribas disse que pela experiência que possui, votou à favor visando a economicidade do município.

Vereador João Alberto Gaiola, que foi contrário, além de justificar o seu voto, explicou que apesar da rejeição, o Prefeito tem autonomia para seguir os trâmites legais. Gaiola citou que um vereador estaria mentindo para a população.

Como se trata de um requerimento de suplementação, o Prefeito pode autorizar esta abertura de crédito através de decreto para então cumprir o contrato vigente em 2017.
Na mesma sessão, em 2ª discussão foram aprovados demais projetos orçamentários.

Publicidade

Farmácia Santo Antonio