Balanço parcial da vacinação contra febre aftosa  apontou que foram vacinados 97,32%do rebanho esperado de 201,1 milhões. O dado preliminar foi apresentado pela Divisão de Febre Aftosa (Difa)do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A quase totalidade dos estados brasileiros já enviou seus relatórios de vacinação e a previsão é que a cobertura chegue a 98%. Nos últimos três anos este percentual vem sendo mantido.

A campanha foi realizada de 1º a 30 de maio e teve prorrogação de 15 dias devido a greve dos caminhoneiros que afetou a entrega de vacinas no comércio.

A segunda etapa de vacinação contra a aftosa será iniciada, na maioria dos estados, entre 1º e 30 de novembro. Todos os produtores do país devem vacinar seu rebanho (bovinos e búfalos), com exceção do estado de Santa Catarina que é livre da febre aftosa sem vacinação. A dose da vacina, nessa próxima etapa, vai continuar contendo o volume de 5 ml.

A partir de novembro do ano que vem, se forem cumpridas todas as ações previstas no Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA 2017-2026), terá início a suspensão gradual da vacinação obrigatória no Acre, Rondônia, parte do Amazonas e do Mato Grosso, conforme calendário de suspensão do PNEFA. A retirada completa da vacinação contra a aftosa, em todo o país, está prevista para o segundo semestre de 2023.