Quatro milhões e 800 mil brasileiros estão desalentados. O número corresponde às pessoas que querem trabalhar, mas não conseguem porque não tem qualificação para a vaga, são consideradas muito jovens, ou muito velhos para o cargo ou não tinha trabalho na própria cidade.

Também fazem parte do levantamento, as pessoas que deixaram de procurar trabalho porque não têm mais condições de pagar a passagem e a alimentação fora de casa para poderem procurar emprego.

O número é o recorde histórico desde 2012. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad)Contínua feita pelo IBGE. Se considerados todos os trabalhadores que poderiam trabalhar mais, e os que continuam buscando emprego, o número ultrapassa 27 milhões e 600 mil pessoas, ou seja, um quinto da população em idade de trabalhar. Outro dado revelado pelo estudo é que o número de empregados com carteira assinada continua caindo. Se comparado ao ano anterior houve redução das vagas com carteira, o que mostra que o trabalho informal ainda é a saída para quem procura uma maneira de trabalhar.